sexta-feira, agosto 29, 2008

Entre o Céu e a Terra

Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Efésios 6:12.
Resolvi começar esse post de hoje com um trecho da bíblia porque muita gente tem medo do diabo. Muita gente acha que o nosso inimigo tem poder para fazer frente ao nosso Deus; pensam que O Altíssimo só vence a batalha contra Satanás nos 45 minutos do 2º tempo. Na verdade o Senhor já venceu esta batalha antes mesmo de ela começar, antes de Lucifer cair.
Então não há motivos para ter medo do inimigo e devemos enfrentar a nossa batalha contra ele e todos os seus demônios no nome e sangue de Jesus. Tem pessoas que perdem seu tempo estudando demônios suas classes hierárquicas, isso é inútil. Não precisamos saber do inimigo mais que a bíblia fala, precisamos saber que está vencido e ponto.

quarta-feira, agosto 13, 2008

Nostalgia

Hoje eu acordei cedo, coisa que não costumo fazer; enquanto zapeava pelos canais da TV, eis que me deparo com uma propaganda na tv cultura falando dos horários de um de seu programas, mais especificamente dO Castelo Ra-tim-bum.
Me lembrei dos meus tempo de de criança (esse post já está paecendo um De já vi).
Senti uma vontade de assistir ao programa, mas infelizmente passa num horário em que estou trabalhando...

terça-feira, agosto 05, 2008

Genocídeo

O dicionário define Genocídeo assim:
Genocídeo: Ge.no.cí.de.o [Subst. masc]: Crime que consiste na pratica de atos com a intenção de destruir no todo ou em parte um grupo nacional étnico, racial ou religioso.
O dicionário também define como genocídio a recusa da existência a grupos humanos inteiros, pela exterminação de seus indivíduos, desintegração de suas instituições políticas, sociais, culturais, lingüísticas e de seus sentimentos nacionais e religiosos. Basicamente, o que os EUA fizeram com o Japão, após o término da segunda guerra.

63º aniversário.
Memento homo quia és pulveris et in pulverem reverteris.


Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki

Na manhã de 6 de Agosto de 1945, a Força Aérea Americana largou a arma nuclear (Little Boy) na cidade de Hiroshima (Japão), à qual se seguiu, três dias mais tarde, a detonação da bomba Fat Man sobre Nagasaki. As estimativas do número total de mortos variam entre 100.000 e 220.000, sendo algumas estimativas consideravelmente mais elevadas quando são contabilizadas as mortes posteriores devido à exposição à radiação. Mais de 90% das vitimas eram civis.
A rosa de Hiroxima

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada

A Rosa de Hiroshima é um poema do escritor e poeta brasileiro Vinícius de Moraes que foi musicado por Gerson Conrad para os Secos e Molhados e fala sobre a explosão das bombas atômicas em Hiroshima e, apesar do nome, em Nagasaki.