quinta-feira, novembro 25, 2010

O silêncio dos Inocentes ¹

Ou a Tempestade que chega é da cor dos teus Olhos Castanhos ².

Há dias em que falar é muito pouco, o silêncio, embora doloroso para muitos, é a única forma verdadeira de falar. Existem coisas que só podem ser ditas através do silêncio, como o luto e a tristeza, por exemplo. Outras não merecem, ou não devem ser ditas e sabemos que entre o falado e o não-falado existe o interlocutor que dará sua interpretação tanto para o dito quanto ao não dito.
Semelhantemente na escrita existem as linha e as entrelinhas, porém o interlocutor está separado do escritor no tempo e espaço. Por essa mesma razão a literatura pode ser considerada maior que a oratória, uma vez que o discurso dura pelo tempo que o falante fala, a escrita, contudo, pode permanecer por séculos. Se o leitor está separado por séculos, os silêncios no texto escritos terão, obrigatoriamente, sentidos diversos através das eras.
Agora, não saber como escrever é um problema ainda; porque, se tenho idéias, e as tenho aos montes, mas não sei qual usar, o bom senso acaba me “dizendo” qual colocar no papel e qual não, mas, quão grande será a dificuldade do escritor que não souber como por essas idéias no papel?
Este é, muito provavelmente, o maior problema de qualquer escritor; como dispor as idéias de maneira que o interlocutor compreenda do texto aquilo que se intentou que compreendesse? – É muito complicado, mesmo a escolha lexical pode levar o interlocutor a uma interpretação diferente da que se intentou originalmente, claro que num texto literário isto é bom, até aconselhável.
Contudo a preocupação com o que o leitor pode apreender do texto se torna um ponto crítico para o escritor, uma vez que não escrevemos para nos mesmos e sim para outros que estão, como já disse, separados de nós no tempo e no espaço, o que dificulta bastante a relação de interlocução, uma vez que não podemos “explicar” o que queríamos dizer no texto.
Acredito que a experiência de escrever, pelo menos até terminarmos de fazê-lo, é sempre desagradável e dolorosa, alias, acho mesmo que sou um pouco masoquista... – mas quando o texto está terminado, sinto-me realizado, como disse Otto Lara Resende: “Só a criança e o poeta têm os olhos abertos para o espetáculo do mundo” e eu acrescento: "e para as delicias da palavra...".

1 - O silêncio dos inocentes ³ O Silêncio dos Inocentes é um filme norte-americano de 1991, do gênero suspense policial, realizado por Jonathan Demme e com roteiro baseado no livro de mesmo nome escrito por Thomas Harris.
2 - Referência à música do Legião Urbana: Tempo Perdido ³.
3 - Clique nos links para ver mais.

2 comentários:

Micael Gallo disse...

adorei oq escreveu!!
como me expressar em palavras escritas oq penso sobre oq acabei de ler?
com certeza nao conseguiria rsrs
abraços meu amigo!

NANI CINTRA disse...

amei o texto...amei o blog...seguindo e amando...indicação do meu amigo Micael Gallo